segunda-feira, 8 de junho de 2009

Il Bacio


O Beijo! malva-rosa em jardim de carícias!
Vivo acompanhamento no piano dos dentes
Dos refrãos que Amor canta nas almas ardentes
Com a sua voz de arcanjo em lânguidas delícias!

Divino e gracioso Beijo, tão sonoro!
Volúpia singular, álcool inenarrável!
O homem, debruçado na taça adorável,
Deleita-se em venturas que nunca se esgotam.

Como o vinho do Reno e a música, embalas
E consolas a mágoa, que expira em conjunto
Com os lábios amuados na prega purpúrea...
Que um maior, Goethe ou Will, te erga um verso clássico.

Quanto a mim, trovador franzino de Paris,
Só te ofereço um bouquet de estrofes infantis:
Sê benévolo e desce aos lábios insubmissos
De Uma que eu bem conheço, Beijo, e neles ri.


(Paul Verlaine, in "Caprichos")

34 comentários:

  1. Bellisimo me encanto el poema
    un beso

    ResponderEliminar
  2. ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ..............()""()
    ..............( 'o' )
    .|_______|(,,)(,,)|'—._
    .(O)==(O)~~~(O)==(O)='

    Mundo Animal desea que tengas una semana genial, Gracias por tu compañia y por compartir con nosotros.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Gostei da postagem.
    "Il Bacio",quanto sortilégio...
    Beijo
    isa.

    ResponderEliminar
  4. Linda e imprescindível Amiga:
    VOCÊ é um tesouro valiosíssimo. Pelo seu pensar. Pelo seu encanto. Pela ternura e pureza dos seus gestos e atitudes.
    Adorei! VOCÊ fascina pelas mensagens adoráveis que nos dá de poesia fabulosa. Um Post sensível. Mágico.
    Adorei! Bem-Haja, amiguinha!
    Beijinhos de respeito. Muitos.
    É enternecedor no que faz, acredite?
    Maravilhado pela sua significação gigante

    pena

    ResponderEliminar
  5. Hola Argos, hermosa la entrada, como cada uno de todos vosotros, que posteáis cosas muy lindas como sé galego, entiendo el portugués sin problemas.

    Dile a Poseidón, que hoy tengo un poema muy pequeno de Antonio Machado.

    Muito obrigada, parabéns.

    Maite

    ResponderEliminar
  6. Bom dia meus queridos!
    Passando pra dizer que tem selinho lá na minha galeria de selos pra vocês ok?
    A galeria fica na lateral do Alma Poeta e é só clicar na imagem para entrar.
    Caso o queiram, o selo é "Esse blog me faz sorrir".
    Um grande beijo e um ótimo dia!!!

    ResponderEliminar
  7. No acostumbro a leer mucha poesía, salvo la gallega, que ésta si la oigo desde el interior y, curiosamente, la portuguesa parece que siento del tal forma y en el mismo lugar, que casi las confundo.

    Un saludo

    ResponderEliminar
  8. Olá Luna

    Ainda bem que gostaste do poema!
    Verlaine não deixa ninguém indiferente: Ou se ama ou se odeia!

    Abraços

    ResponderEliminar
  9. Christian y Estrellita

    Uma boa semana para vocês também!
    Obrigado por não se esquecerem de nós.

    Abraços

    ResponderEliminar
  10. Olá Isa!

    Beijo – sortilégio ou não…uma palavra e um poema cheios de significado!

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Olá Pena,

    Desta vez o post é meu e não da Tétis!

    Um abraço grande e volte sempre, gostamos de o ver por cá. O Pena tem sempre uma palavra amável de incentivo para nós.

    O meu obrigado

    ResponderEliminar
  12. Hola Maite,

    Fico feliz por gostar do nosso blog!
    Nós também “passeamos” com muito gosto pelos seus.
    Fique tranquila que transmitirei a mensagem ao Poseidón. Tenho a certeza que ele ficará encantado.

    Abraço

    Maite está de parabéns, entende e escreve o português muito bem!

    ResponderEliminar
  13. Serena Flor,

    Muito obrigado pelo selinho!
    É bom saber que somos lembrados.

    Um grande abraço e seja feliz!

    ResponderEliminar
  14. Olá XoséAnton!

    Conheço um pouquinho a poesia galega e penso que na sua maioria, ela tem a pureza das coisas simples e verdadeiras. É terra e é alma!

    Abraço

    ResponderEliminar
  15. Precioso me encanto el poema
    ya estamos en casa, todo bien
    Un besito Rosario

    ResponderEliminar
  16. Rosario,

    Ficamos muito felizes com essa notícia, obrigado por compartilhá-la connosco.
    Verás que agora tudos será melhor!

    Um grande, grande abraço cheio de carinho de todos nós

    ResponderEliminar
  17. Me gusta este faro de la amistad, y estos versos con un canto al beso y al sentimiento, muy bello.

    Un beso.

    ResponderEliminar
  18. ARGOS

    Obrigada pela presença e companhia no meu cantinho...


    deixo...

    AMARRAS
    Amarras…
    Soldadas…
    Apertadas…
    E que doem…

    Vou…
    Esticar os braços…
    Com força…
    E cortá-las…
    Quero ser livre…
    Saber quem sou…
    E o que quero…

    Não quero…
    Sonhar por sonhar…
    Esperar…
    E nada ter…

    E com força…
    Arranco…
    As amarras…

    E mesmo doendo…
    É dor de momento…

    E não voltarei…
    A deixar pôr amarras…
    Porque quero…
    Ser eu novamente!.


    Lili Laranjo

    ResponderEliminar
  19. Bello poema para disfrutar leyendo.

    un saludo desde Barcelona.

    ResponderEliminar
  20. Amigo Argos,

    que poema mas bello!
    Veo que conoces muy bien los poetas franceses..
    Bueno en realidad lo sabia..
    Te felicito por saber escoger tan bien.

    Dejo aqui en francés el original :

    Baiser! rose trémière au jardin des caresses!
    Vif accompagnement sur le clavier des dents
    Des doux refrains qu'Amour chante en les coeurs ardents
    Avec sa voix d'archange aux langueurs charmeresses!

    Sonore et gracieux Baiser, divin Baiser!
    Volupté non pareille, ivresse inénarrable!
    Salut! l'homme, penché sur ta coupe adorable,
    S'y grise d'un bonheur qu'il ne sait épuiser.

    Comme le vin du Rhin et comme la musique,
    Tu consoles et tu berces, et le chagrin
    Expire avec la moue en ton pli purpurin...
    Qu'un plus grand, Goethe ou Will, te dresse un vers classique :

    Moi, je ne puis, chétif trouvère de Paris,
    T'offrir que ce bouquet de strophes enfantines :
    Sois bénin, et pour prix, sur les lèvres mutines
    D'Une que je connais, Baiser, descends, et ris.

    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  21. Precioso ¿labios insumisos?, ¡quien pudiera...!
    Bicos tranquilos, reposados y desde una pantalla.

    ResponderEliminar
  22. O Compartilhando Leituras é um novo blog que está no ar. Faça uma visitinha quando puder e deixe seu comentário. Obrigada!!!

    compartilhandoleituras.blogspot.com

    ResponderEliminar
  23. Amigo Argos

    Já cá tardava, Paul Verlaine!...

    Depois de vermos aqui desfilarem Baudelaire, Rimbaud... Verlaine estava a faltar para completar o grupo dos ditos "poetas malditos".

    Belíssimo poema "Il bacio" e a escultura de Rodin que o ilustra é magnífica. Um conjunto perfeito.

    Obrigada por nos proporcionares todos estes excelentes momentos de poesia e de beleza.

    Um grande abraço muito amigo.

    ResponderEliminar
  24. Hola Maria,

    Obrigado pelas amáveis palavras.
    Eu também gosto dos poemas que saem da tua “pluma de cristal”!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  25. Lili,

    Não tem que agradecer!
    Eu é que agradeço por compartilhar connosco o seu espaço e poemas.

    Abraço

    ResponderEliminar
  26. Hola Maria Rosa

    Ainda bem que gostou do poema, eu gosto muito de Verlaine e da sua poesia.

    Um abraço
    (achei interessante aquela ideia dos “cojines para meditación”)

    ResponderEliminar
  27. Olá Poseidón amigo,

    Obrigado pelo original!
    E sim, tu sabes bem que eu gosto de alguns...de muitos poetas franceses!

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  28. Hola fonsilleda

    Gostei do teu comentário, bravo!

    Abrazo y un bico

    ResponderEliminar
  29. Mariane,

    Amanhã pode contar com a minha visita.
    Prometo deixar o meu comentário!

    Abraço e obrigado pela visita

    ResponderEliminar
  30. Olá Tony

    Concordo contigo: Fusion…

    Abraço

    ResponderEliminar
  31. Olá Tétis!

    O prometido é devido: Baudelaire, Rimbaud e agora Verlaine.
    Os Malditos! Tão malditos assim?

    Um abraço grande de amizade
    (relógio diz-te alguma coisa?)

    ResponderEliminar
  32. Olá Argos

    É claro que "l'horloge" me diz muito, ou melhor, tudo.

    E, já que lembraste, não vou resistir à tentação:

    L'Horloge

    Horloge! dieu sinistre, effrayant, impassible,
    Dont le doigt nous menace et nous dit: "Souviens-toi!
    Les vibrantes Douleurs dans ton coeur plein d'effroi
    Se planteront bientôt comme dans une cible;

    Le Plaisir vaporeux fuira vers l'horizon
    Ainsi qu'une sylphide au fond de la coulisse;
    Chaque instant te dévore un morceau du délice
    A chaque homme accordé pour toute sa saison.

    Trois mille six cents fois par heure, la Seconde
    Chuchote: Souviens-toi! - Rapide, avec sa voix
    D'insecte, Maintenant dit: Je suis Autrefois,
    Et j'ai pompé ta vie avec ma trompe immonde!

    Remember! Souviens-toi! prodigue! Esto memor!
    (Mon gosier de métal parle toutes les langues.)
    Les minutes, mortel folâtre, sont des gangues
    Qu'il ne faut pas lâcher sans en extraire l'or!

    Souviens-toi que le Temps est un joueur avide
    Qui gagne sans tricher, à tout coup! c'est la loi.
    Le jour décroît; la nuit augmente; souviens-toi!
    Le gouffre a toujours soif; la clepsydre se vide.

    Tantôt sonnera l'heure où le divin Hasard,
    Où l'auguste Vertu, ton épouse encor vierge,
    Où le Repentir même (oh! la dernière auberge!),
    Où tout te dira Meurs, vieux lâche! il est trop tard!"


    (Charles Baudelaire)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  33. Tétis,

    O relógio diz muito, diz tudo…

    “Recorda! Que o tempo é um jogador ávido
    Que ganha sem batota! A todo o custo! É a lei”.

    Mas nem sempre recordar é mau, nem sempre perder para o tempo significa de facto perder.
    Lembras o que uma vez te disse sobre “Os Dias a Recordar”?
    Nessas alturas,és tu a dona do tempo!

    Abraço grande

    ResponderEliminar

Cada comentário a este post é mais um Facho de Luz que nos ilumina.
Mas, se apenas quiser assinalar a sua presença, dar-nos um recadinho ou dizer-nos um simples “olá”, poderá também fazê-lo no nosso Mural de Recados.
A equipa do Farol agradece o vosso carinho e Amizade.