quinta-feira, 22 de agosto de 2019

El futuro no es lo que sucederá..


El futuro no es lo que sucederá, sino lo que vamos a hacer. (Herí Bergson)

Pasamos mucho tiempo anticipando el futuro. Esta es una de las habilidades que nuestro cerebro ha desarrollado para nuestra supervivencia.

Él continúa sobresaliendo en este ejercicio. Consume y utiliza muchos de nuestros recursos atencionales.

Sin embargo, el futuro es solo la consecuencia de nuestras acciones en el presente.
Cada una de nuestras acciones, aquí y ahora, está ayudando a construir el futuro.
Bien vivir el momento!


terça-feira, 13 de agosto de 2019

O Tempo


O Tempo

O tempo não espera pela gente mas eu espero por ti
O tempo quer ser indiferente, só eu te quero aqui
Por mais que eu te diga, mesmo que eu consiga
O tempo não espera por mim
O tempo não espera pela gente se não fugirmos daqui
Sei que não vai ser diferente, só por dizer que sim
Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música pra ti
Porque eu também choro
Quando me desarmas
E agora canto o que perdi
Porque houve um tempo
Em que eu te tinha só para mim
Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música pra ti
Porque eu também choro
Quando me desarmas
E agora canto o que perdi
Porque houve um tempo
Em que eu te tinha só para mim
Só para mim
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música pra ti
Só espero que o tempo te traga até mim


domingo, 4 de agosto de 2019

Tributo a José Afonso



Esta é uma simples e singela homenagem a José Afonso, figura incontornável na história da música portuguesa e que, se infelizmente não nos tivesse deixado tão cedo, teria completado no passado dia 2 o seu 90º aniversário.


"No panorama artístico, social, político, cultural, não foi, José Afonso, um homem qualquer. Pertencerá sem dúvida aquele número reduzido dos que, pelas suas obras, se vão “da lei da morte libertando”.

Para ser grande bastava-lhe a voz. Límpida e jovem voz que ecoou nas escadarias da velha Academia de Coimbra. Voz madura de Maio, voz de um povo sofrido, voz de denúncia, voz de inquietude. Voz sinete da revolução de Abril!

Para ser grande bastavam-lhe as palavras. Palavras de reflexão, de um pensamento atento e generoso, palavras em poemas, musicados ou não. Palavras irónicas, duras ou doces, enigmáticas ou mordazes. Palavras cheias. Cortantes, moendo, denunciando. Trazendo o conforto que nos faz falta, sendo alarme e esperança.

Para ser grande bastava-lhe a música, o trinado da guitarra e da viola, o som dos ferrinhos e do adufe, dos instrumentos em harmonia ou desafiando-se. Bastava a recuperação das raízes musicais, as influências das terras por onde andou, das Beiras ao Algarve, de África ao Alentejo, todas as sonoridades que o seu ser andarilho foi captando para nos dar canções de grande riqueza musical, inovação e originalidade.
Para ser grande bastava-lhe ser homem.

Um homem inteiro, vara aprumada, ainda que por dentro vergasse na inquietude própria de um ser desassossegado e sedento de verdade e justiça. Homem do lado certo da história, da resistência junto a tantos outros, na longa noite fascista. Irmão dos oprimidos, dos desterrados, das mulheres da erva, dos homens que ardem por uma ideia. Fraterno, simples, independente! De braços abertos numa mesa sempre posta, punhos cerrados quando havia um camarada à sua espera.

Para ser enorme bastou-lhe a utopia. Essa utopia presente na ondulação do seu canto, na atitude perante a vida. Que outros agarraram e colocaram nas lides clandestinas, nos canos das espingardas, nas escolas e fábricas, nos campos e nas ruas. A utopia de construir a cidade de “gente igual por dentro e gente igual por fora” onde o povo seja sempre aquele que mais ordena(...)"

Extracto de texto, publicado pela AJA (Associação José Afonso), aquando do lançamento da Petição para a classificação da obra de José Afonso de interesse nacional. Esta Petição, que contou com 11.400 assinaturas, foi entregue no Ministério da Cultura no passado dia 2 de Agosto, data em que José Afonso completaria 90 anos.



Do último concerto que deu no Coliseu de Lisboa, quatro anos antes de falecer (a 23 de Fevereiro de 1987) e já notoriamente debilitado, escolhemos a “Balada de Outono”, cujo refrão soará como uma premonição a todos que na altura o acompanharam:

Balada de Outono

Águas passadas do rio
Meu sono vazio
Não vão acordar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto a cantar

Rios que vão dar ao mar
Deixem meus olhos secar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto A cantar

Águas do rio correndo
Poentes morrendo
P'ras bandas do mar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto A cantar

Rios que vão dar ao mar
Deixem meus olhos secar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto A cantar


domingo, 21 de julho de 2019

Saudades


Saudades! Sim.. talvez.. e por que não?...
Se o sonho foi tão alto e forte
Que pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê?... Ah, como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como o pão.

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar
Mais decididamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais saudade andasse presa a mim!


(Florbela Espanca)

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Tu tiempo...


Os dejo estas frases para meditar:


“Tu tiempo es tu mayor tesoro…”

“Cuando una persona vive feliz y en paz no hiere a los demás…”

La tranquilidad es un nuevo lujo de nuestra sociedad…

No importa lo que seas y tengas, sino estas en paz contigo mismo nada valdrá todo.


Feliz verano para todos!


sábado, 6 de julho de 2019

Reflorestação


Reflorestação é essencial


Plantar árvores é a forma mais eficiente de combater as alterações climáticas. Esta a conclusão de um estudo publicado por investigadores do Instituto Federal Suíço de Tecnologia.

Nada mais, nada menos do que 900 milhões de hectares, uma área do tamanho dos Estados Unidos, estas árvores poderiam armazenar dois terços do carbono produzido pela população humana atual.

"O que descobrimos foi que a reflorestação é dez vezes melhor do que outras soluções para combater as mudanças climáticas. Se conseguirmos alcançar 10% dos nossos objetivos, só isso tem um impacto monumental. E com o movimento que vemos por todo o mundo estou otimista em como podemos alcançar isto", afirma o professor Tom Crowther, diretor do estudo.

No entanto, há que começar rapidamente porque vai levar décadas até as árvores crescerem e alcançarem o seu pleno potencial enquanto reservatórios de dióxido de carbono.


Segundo o estudo, países como a Rússia, os Estados Unidos, o Canadá, a Austrália, o Brasil e a China seriam os países mais adequados para se apostar na reflorestação.

"Esse foi o objetivo deste estudo. Mostrar quais os ecosistemas mais indicados para se plantarem árvores e quanto carbono poderia ser armazenado nessas áreas. É um contributo para estes esforços" acrescenta o professor Crowther.
Os cientistas contudo sublinham que a reflorestação é apenas uma entre outras medidas para a proteção do ambiente. O principal fator, dizem, é abandonar o modelo económico baseado no consumo de combustíveis fósseis.

Fonte: pt.euronews.com


quinta-feira, 27 de junho de 2019

No podemos ser un libro abierto..


“No podemos ser un libro abierto para todos, porque algunos apenas saben leer, otros no saben interpretar, y habrá alguien que te arrancara más de una página.”

domingo, 16 de junho de 2019

Recordando... Frank Sinatra



Recordamos hoje Frank Sinatra (1915-1998), o cantor, actor e produtor norte-americano, um músico recordista de vendas com mais de 150 milhões de cópias e um dos artistas musicais mais populares e influentes do século XX.

Strangers in the Night, canção de 1966 composta por Charles Singleton, Eddie Snyder e Bert Kaempfert, foi a canção escolhida que vamos ouvir e que na voz de Frank Sinatra alcançou a posição 1 da Billboard Hot 100 e da Billboard Easy Listening e também 1 da UK Singles Chart.


*** +++ ***

Strangers in the Night


Strangers in the night exchanging glances
Wondering in the night
What were the chances we'd be sharing love
Before the night was through

Something in your eyes was so inviting
Something in your smile was so exciting
Something in my heart
Told me I must have you

Strangers in the night, two lonely people
We were strangers in the night
Up to the moment
When we said our first hello
Little did we know
Love was just a glance away
A warm embracing dance away and

Ever since that night we've been together
Lovers at first sight, in love forever
It turned all right
For strangers in the night


terça-feira, 4 de junho de 2019

El cuerpo humano es el carruaje;


 "El cuerpo humano es el carruaje; el yo, el hombre que lo conduce; el pensamiento son las riendas, y los sentimientos, los caballos. "

Platón 


!CUANTA VERDAD EN ESTA FRASE!