quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Marcel Marceau - Um tributo

22-03-1923 / 22-09-2007

Fez ontem dois anos que faleceu, aos 84 anos de idade, aquele que é por muitos considerado como o artista mais representativo da mímica de todos os tempos, o francês Marcel Marceau.


Nascido em Estrasburgo, a 22 de Março de 1923, Marcel Marceau era oriundo de uma família judia francesa.

Com 15 anos, quando a França entrou em guerra, Estrasburgo é evacuada e Marcel e a sua família são obrigados a fugir e a refugiarem-se na Dordogne.
Os seus dons artísticos, sobretudo na pintura, levam-no a inscrever-se na escola de artes decorativas de Limoges.


Em 1943, Marcel entra para a Resistência Francesa, tendo participado na campanha na Alemanha, onde chegou a fazer algumas representações para as tropas aliadas. O seu interesse em actuar surgiu-lhe após ter conhecido Charlie Chaplin. Marcel dizia: "J'imitais Chaplin, qui était mon dieu"…

Tendo habitado em Sèvres, perto de Paris, Marcel pode seguir a carreira de Charles Dullin, no Teatro Sarah-Bernhardt (Théâtre de la Cité), onde se inscreveu e estudou arte dramática. Aí teve como mestres Dullin e Étienne Decroux, o pioneiro da mímica moderna.


Em Abril de 1945, quando a guerra acabou, Marcel Marceau integra a companhia de Jean-Louis Barrault e Madeleine Barrault. Interpreta então brilhantemente o papel de “Arlequim” da pantomima “Baptiste”. Nesse mesmo ano viria ainda a representar, no Teatro Sarah-Bernhardt, o seu primeiro “mimodrama”, chamado “Praxitele e o Peixe Dourado”. O excelente desempenho acaba por consolidar e decidir definitivamente a sua carreira como mímico.

No dia do seu 24º aniversário, a 22 de Março de 1947, Marcel cria Bip, a sua famosa personagem de cara pintada de branco, olhos pintados a carvão, boca rasgada com um traço vermelho. A roupa seria uma camisa de marinheiro, calças largas de palhaço e chapéu de seda com uma flor espetada. A somar a tudo isto, uma aparente frágil expressividade corporal. Esta personagem de linguagem universal podia comunicar com toda a gente de qualquer lugar, quer por um gesto, quer por um olhar.

As desventuras de Bip interagindo com tudo, desde borboletas a leões, de navios a combóios, nos salões ou nos restaurantes, eram ilimitadas. Bip era uma pantomima de estilo que deu a Marceau um reconhecimento fora de série.


O seu génio e o seu talento revelam um sentido de observação muito apurado, pois consegue dar-nos uma panorâmica da humanidade nos seus mais pequenos detalhes, ao mesmo tempo que dá à sua arte uma dimensão poética intemporal. Nos seus “sketches”, mesmo quando aborda assuntos mais sérios, Marcel deixa sempre transparecer uma esperança e uma fé inabaláveis, um acreditar na humanidade e na vida.

Em 1949, após receber o “Prémio Deburau” (criado em memória do mestre da mímica do século XIX, Jean-Gaspard Deburau), Marceau formou a sua “Compagnie de Mime Marcel Marceau”, única companhia de pantomima do mundo naquela época, que estreou nos principais teatros de Paris e noutras casas de espectáculo de todo o mundo.

Actuou pelo mundo inteiro e, em 1955, a sua chegada aos Estados Unidos espantou o público americano habituado às comédias musicais, à dança moderna e clássica e às indústrias do espectáculo. Um homem que não falava, durante duas horas em cena, suscitou a surpresa e a admiração do público. Começou a partir dessa data a fazer sucessivas turnés por toda a Europa, América do Norte, América do Sul, África, Austrália, China, Japão, Sudeste Asiático e Rússia.

É em Roma, em 1967, quando da rodagem de “Barbarella” de Roger Vadim, que Marcel Marceau terá a oportunidade de encontrar pela primeira e única vez o seu ídolo, o seu mestre: Charlie Chaplin.

Pelas suas frequentes aparições na televisão, Marceau tornou-se familiar a milhões de pessoas. O seu primeiro trabalho de TV foi no “Show of Shows” em que ganhou o cobiçado prémio “Emmy” da indústria da televisão. Apareceu também na BBC, em 1973, em “A Christmas Carol”. Teve também o seu próprio show intitulado "Meet Marcel Marceau".

Actuou ainda no cinema em filmes como "First Class", em que protagonizou 17 papéis diferentes, "Shanks", “Barbarella” e "A Última Loucura".

Como autor, escreveu "Marcel Marceau Alphabet Book" e "Marcel Marceau Counting Book".
Existem outras publicações de poesia e as ilustrações de Marceau que incluem a sua "La ballade de Paris et du Monde", que escreveu em 1966. Há ainda a "A História de Bip", escrita e ilustrada por Marceau. De 1982 existe uma colecção de dez litografias originais, "Le Troisième Oeil", obra que é acompanhada de um texto de Marceau.

Para promover a importância da mímica e aproveitando a sua experiência de cinquenta anos, Marceau criou em Paris, em 1978, a sua própria escola, a “École Internationale de Mimodrame”, onde também se ensinam as disciplinas afins da mímica, nomeadamente a dança e a acrobacia.

Igualmente, para promover o mime nos Estados Unidos, criou em Nova Iorque, em 1996, a “Marceau Foundation”, onde estão conservados todos os seus arquivos.

Pela sua constituição física e pela grande energia de que era dotado, Marcel continuou as suas actuações quase até à data da sua morte.

Assim, em Novembro de 1997 celebra em Paris os seus 50 anos de carreira, apresentando um espectáculo com “Pantomimes de Bip” e “Le chapeau melon”.
Nunca tendo interrompido a sua carreira, em 2000 organiza uma turné em que apresenta o espectáculo “Les premiers adieux de Bip”, continuado em 2002 com “Le retour du mime Marceau” e em 2005, na América Latina, com “Le meilleur de Marceau”.

Marcel Marceau foi premiado em França com as maiores condecorações oficiais. O governo francês conferiu-lhe a mais alta condecoração ao nomeá-lo “Officier de la Légion d'Honneur”, a que se seguiu “Commandeur de l'Ordre National du Mérite” e “Commandeur des Arts et Lettres”. Em 1978 recebeu a “Medaille Vermeil de la Ville de Paris".

Era membro eleito das Academias de Belas Artes de Berlim e Munique e da Academia de Belas Artes do “Institut de France”.

Marceau recebeu também o título de “Doutor Honoris Causa” da Universidade do estado de Ohio, da Universidade de Princeton, da Universidade de Michigan, do Lindfield College e da Universidade de Ricardo Palma, no Peru.

Em 1999 a cidade de Nova Iorque estabeleceu o dia 18 de Março como o "Dia de Marcel Marceau".
Em 2002 a ONU nomeou-o “Embaixador da Boa Vontade para a Terceira Idade”, cargo que Marceau aceitou pois, segundo ele: "la vieillesse arrive quand on s'arrête".
Marcel Marceau morre a 22 de Setembro de 2007, aos 84 anos, rodeado do carinho e afeição dos seus quatro filhos, fruto dos seus três casamentos.

O funeral, com a presença de cerca de 200 pessoas, realizou-se no dia 26 de Setembro no cemitério parisiense do “Père-Lachaise”.

Deixou-nos um purista da comunicação sem palavras, com um estilo único e muito próprio, com um domínio incrível do corpo que, pelo seu contributo à arte da comunicação gestual, se torna numa perda irreparável.



37 comentários:

  1. Obrigada por partilharem a história
    deste grande homem que, à sua maneira,conseguiu mostrar que muitas vezes a palavra ñ é necessária.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  2. Gostei deste post, sou sincera não conhecia!

    Valoriza-se demasiado as palavras. Este ano, no nosso colégio, criamos o clube da Língua Gestual para os alunos do 1º ciclo. Está a fazer um sucesso. Uma aula diferente em que prevalecem os gestos e as expressões... a palavra descansa nesse momento.

    ResponderEliminar
  3. Marcel Marceau
    poseedor de una técnica de pantomima genial...
    Fué un gran artista.

    Gracias por compartir tan bellos post.

    Besos.

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia este grande artista e fiquei feliz de poder conhecer um pouquinho de sua história...obrigada!

    Passando também pra dizer que tem um selinho lá na minha galeria de selos que fica na coluna lateral do Alma Poeta ok?
    É só passar lá e pegar meus querido. Caso não queiram, mão tem problema algum, mas se aceitá-lo ficarei muito feliz...beijão!

    ResponderEliminar
  5. Olá Tétis,

    E outro tributo mais do que merecido!
    Marcel Marceau foi o expoente máximo da mímica, único na sua arte, na sua expressividade, na sua capacidade de nos fazer sonhar, de nos "espantar" pela forma como conseguia transmitir emoções, sentimentos, estados de alma.
    Simplesmente, Fabuloso.

    Obrigada por o teres trazido. Penso que estava a cair no esquecimento!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  6. parece mentira que sin palabras se pueda decir tanto.Simplemente genial.

    Un Abrazo Tetis

    ResponderEliminar
  7. Um nobre post para o grande génio da mímica.
    Marcel Marceau foi efectivamente o grande mestre do silêncio e do gesto. Com a sua mestria conseguia a todos "siderar"...os seus gestos singelos, expressavam poesia e mensagens gritantes!

    Excelente post!
    Parabéns

    ResponderEliminar
  8. Maravilloso genio de la mimica.
    Ha sido un verdadero placer recordarlo.
    Persona sencilla y tan grande.
    Gracias por compartir tan mereido homenage.
    Un abrazo desde el Mediterraneo,

    ResponderEliminar
  9. Mi querida amiga Tétis,

    Le mime Marcel Marceau à traite des thèmes profonds comme :

    - la lutte du Bien et du Mal,
    - la Création du Monde ou Adolescence
    - Maturité, Vieillesse et Mort, etc..

    Tu sais Marcel MARCEAU à l’école il était le meilleur élève en récitation, également doué en dessin et peinture, au final effectivement beaucoup de talent.

    Avoir du talent c’est bien, travailler bien à l’école ça paye aussi !

    Je te félicite pour ton post.

    Bisous mon amie.

    ResponderEliminar
  10. Obrigada por partilhares esta homenagem a Marcel Marceau. Hei-de recordá-lo sempre.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Un saludo a todos mis seguidores y amigos, hoy soy yo la que os quiere premiar con este regalito para celebrar la apertura de mi nuevo blog MI JARDIN DE PREMIOS, con él os quiero agradecer vuestro apoyo con las bonitas palabras que me dedicais en mis blogs, la paciencia que habeis tenido cuando he tenido que cerrarlos por que no me ivan bien hasta que he logrado configurarlos a mi gusto y por supuesto siempre pensando en vosotros.
    Os lo iré comunicando mediante comentarios en los blogs, tener un poquito de paciencia ya que sois muchos y el tiempo que tengo es más bien reducido.
    Una vez más me reitero ¡¡¡ GRACIAS¡¡¡ por los premios recibidos que también iré subiendo todos los que tengo atrasados.
    Os dejo el premio para si es vuestro deseo os lo lleveis a vuestras "casas".

    ResponderEliminar
  12. Ñ o conhecia,
    agora posso dizer que sim,obrigada!

    MeU DeSeJo De HoJe PaRa VoCê...
    ﻼﻍஞ  FELICIDADE:
    *ஃ* ao máximo!
    *ﻼﻍஞ  SERENIDADE:
    **ஃ* em cada amanhecer!
    *ﻼﻍஞ  ÊXITO:
    **ஃ* em cada fase da vida!
    *ﻼﻍஞ  BONS AMIGOS
    **ஃ* para todas as horas!
    *ﻼﻍஞ   AMOR:
    **ஃ* que nunca termina!
    *ﻼﻍஞ   BOAS LEMBRANÇAS:
    **ஃ* de tudo que foi vivido!
    *ﻼﻍஞ  UM BONITO HOJE:
    **ஃ* com muito para agradecer!
    *ﻼﻍஞ  UM CAMINHO:
    **ஃ* que te guie à um grandioso futuro!
    *ﻼﻍஞ  SONHOS:
    **ஃ* se convertendo em realidade!!!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Quel bel hommage rendu à cet artiste qui était d'une extrême sensibilité!

    Quand je fêterai mon anniversaire le 26 septembre, jour où il est seulement passé dans la pièce d'à côté, je lèverai mon verre en pensant à lui !

    Amicalement

    Verdinha

    ResponderEliminar
  14. Amigos do Farol,

    Adorei a postagem...já havia ouvido falar em Marcel, e sua arte representativa, mas não conhecia os detalhes...

    Gostei!!!

    Grande beijo,

    Regina Moon

    ResponderEliminar
  15. Olá! Estou passando para deixar um abraço aos amigos.
    Beijos e muita paz!

    ResponderEliminar
  16. Argos
    li e sei que é mesmo assim a mão fechada guarda 8quando guarda9 mas não partilha nada...

    E é bom podermos abrir a mão e partilhar.
    um beijo para ti

    ResponderEliminar
  17. O Farol Da Amizade

    Este Farol...
    È diferente...
    É farol...
    Alto e longo...

    Alberga...
    Muitos sonhos...
    Muitas fantasias e...
    Muitas Amizades...

    Farol...
    Que gira...gira...
    Deixa um raio de luz...
    A propagar-se...
    Em todas as direcções...

    E aqui...
    Concretamente...
    Neste farol...
    Eu páro...

    Fico a olhar...
    E a meditar...
    Pois sinto...
    Que Aqui...

    Neste farol...
    A Amizade...
    Está mesmo presente!...



    um beijo

    ResponderEliminar
  18. Tétis

    "Esta personagem de linguagem universal podia comunicar com toda a gente de qualquer lugar, quer por um gesto, quer por um olhar."


    Isto vai de encontro ao que eu digo muitas vezes, não vai?

    Um grande abraço de amizade

    ResponderEliminar
  19. Nobre colega Tétis,

    O artista passa, mas a sua arte é eterna. Parabéns pelo post!

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  20. Olá Isa

    O nosso obrigado vai para ti por nos teres visitado e deixado o teu sempre simpático e amigo comentário.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Olá Cristina

    Ficamos contentes por verificarmos que este post poderá ser-te útil para esse trabalho sobre "Língua Gestual" que estás a desenvolver no teu Colégio.

    Marceau foi um dos grandes mestres, há quem diga que o maior, na arte da Mímica.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Hola Meret

    Gracias por tu visita y comentario.

    Estamos felizes por te gustar nuestro blog y nuestros posts.

    Besitos

    ResponderEliminar
  23. Olá Serena

    Também nós ficamos felizes por partilhar conhecimentos, informação e estes grandes nomes da cultura e da arte mundiais.

    Obrigado pelo selinho que já fomos levantar.

    Beijinhos dos amigos do Farol

    ResponderEliminar
  24. Olá Teresinha

    Sim, tens razão, há muita gente, muitos "expoentes máximos" que acabam por cair no esquecimento, muitas das vezes daqueles que deles tiraram proveito, e ainda continuam a tirar, mas que fazem questão em ignorá-los.

    Infelizmente a grande maioria dos "componentes" da nossa sociedade é hipócrita, invejosa e tudo aquilo que brilhe é para "apagar", ou seja, esquecer...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Olá Yoli

    Como já sabes, é sempre um prazer e uma alegria ver-te por aqui.

    Obrigada por também tu participares neste tributo ao grande mestre da "linguagem gestual".

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Olá SightXperience

    Obrigada por ter vindo até aqui ao Farol participar connosco nesta homenagem ao "grande génio da mímica" (como lhe chamou e que aplaudo!...)

    É mesmo certo, Marceau tinha esse poder de "a todos siderar".

    Aqui está a prova de que a expressão popular "a falar é que a gente se entende" não é totalmente verdadeira.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  27. Hola Maria Rosa

    Gracias por tu visita, tu presencia en este homenage al mestre de la mimica.

    Besitos desde Lisboa

    ResponderEliminar
  28. Olá Poseidón

    Exactamente, Marceau tinha essa faceta bastante "sui generis" e que a todos encantava:

    ele brincava e conseguia fazer rir com temas bastante sérios.

    Foi um prazer e uma honra recordar Marcel Marceau através deste pequeno tributo a um grande homem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Olá Graça

    Obrigada por te juntares a esta homenagem a Marcel Marceau.

    Aproveito para te pedir desculpa de não te visitar há já bastante tempo mas, acredita, não és a única. Ando sem tempo algum para passar pelas "casinhas" dos amigos.
    Em breve, prometo, terás uma visita.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  30. Hola Isabel

    Gracias por tus palabras amigas y por tu visita a nuestro Farol.

    Ya visitamos "Mi Jardín de Premios", un blog maravilloso, muy colorido y perfumado.

    Recogemos algunos premios que te agradecemos.

    Nuestro blog de premios está en construcción. Pronto abriremos la sala de nuestro Farol donde están guardados nuestros "tesoros".

    Besitos

    ResponderEliminar
  31. Olá Lira

    Obrigada por também teres aderido a este tributo ao genial Marcel Marceau.

    Agradecemos-te também os desejos que nos deixaste.

    Beijinhos dos amigos do Farol

    ResponderEliminar
  32. Olá Verdinha

    Obrigada pelas tuas palavras e por te teres junto a este tributo a Marcel Marceau.

    Como já disse em mensagem anterior, ando sem tempo algum e por isso não foi possível felicitar-te pelo teu aniversário no dia 26. Aproveito agora para o fazer pois, "mais vale tarde do que nunca".
    Assim, desejo-te as maiores felicidades e espero que tenhas passado um dia feliz junto daqueles que mais amas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  33. Olá Reggina

    Ficamos felizes por saber que ficaste a conhecer mais detalhes acerca do grande mestre da mímica.

    Agradecemos de coração as tuas palavras sempre amigas e incentivadoras.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Amiga Reyel

    Obrigada pela visita, pelo abraço, pelos beijinhos e sobretudo pelo desejo que formulas de "muita paz!".

    Também para ti beijinhos e muita Paz, são os desejos dos amigos do Farol.

    ResponderEliminar
  35. Amiga Lili

    Obrigada pela visita, pela Amizade e pelo lindo poema.

    Não temos palavras para descrever o que sentimos ao vermos que nos dedicaste tão belos versos, saídos da tua "pena" e sobretudo do teu coração.

    Beijinhos e tudo de maravilhoso para uma pessoa amiga tão maravilhosa.

    Argos, Poseidón e Tétis

    ResponderEliminar
  36. Olá amigo Argos

    É verdade, quantas e quantas vezes não temos "falado" sobre esta linguagem universal e do "sobrevalorizado poder" da linguagem tradicional, a da palavra.

    Com Marceau ficou mais do que demonstrado e provado que está correctíssima a seguinte frase: "o gesto é tudo".

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  37. Olá amigo "O Mar"

    Sim, é certo, o homem é mortal mas a arte é imortal.

    Obrigada.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar

Cada comentário a este post é mais um Facho de Luz que nos ilumina.
Mas, se apenas quiser assinalar a sua presença, dar-nos um recadinho ou dizer-nos um simples “olá”, poderá também fazê-lo no nosso Mural de Recados.
A equipa do Farol agradece o vosso carinho e Amizade.