terça-feira, 3 de julho de 2018

Nirvana


Nirvana


Viver assim: sem ciúmes, sem saudades,
Sem amor, sem anseios, sem carinhos,
Livre de angústias e felicidades,
Deixando pelo chão rosas e espinhos;

Poder viver em todas as idades;
Poder andar por todos os caminhos;
Indiferente ao bem e às falsidades,
Confundindo chacais e passarinhos;

Passear pela terra, e achar tristonho
Tudo que em torno se vê, nela espalhado;
A vida olhar como através de um sonho;

Chegar onde eu cheguei, subir à altura
Onde agora me encontro - é ter chegado
Aos extremos da Paz e da Ventura!

(Antero de Quental)

5 comentários:

  1. Poesia linda e foto maravilhosa! beijos, chica

    ResponderEliminar
  2. Desde la atalaya que ofrece la fotografía se puede ver llegar la Paz y ventura. un abrazo

    ResponderEliminar
  3. Gostei de ler aqui o Antero de Quental.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar

Cada comentário a este post é mais um Facho de Luz que nos ilumina.
Mas, se apenas quiser assinalar a sua presença, dar-nos um recadinho ou dizer-nos um simples “olá”, poderá também fazê-lo no nosso Mural de Recados.
A equipa do Farol agradece o vosso carinho e Amizade.