quinta-feira, 8 de maio de 2014

Limbo

Batalhar, resistir. Apagar. Lutar com as letras, superar o ímpeto. Evitar construir palavras ou  frases inteiras.
Não é uma luta limpa (como se alguma fosse). Cada letra é uma lâmina.Se permitir  vão abrir espaços em mim.
São muitas, eu sou só um. Não poderei fechar as brechas.
Não posso deixar que me invadam, temo o caudal dos sentimentos à solta. 
.




14 comentários:

  1. Olá, Argos.

    Pois é, amigo, ainda ando por aqui. Já sei que vou ter uma noite de insónia. Será mais uma, deixa lá!

    Porquê batalhar? Resistir? Lutar contra os ímpetos? É isso que realmente desejas?
    Deixa que os sentimentos se soltem e brotem de ti como o caudal de uma fonte de água límpida e pura. Não te reprimas...tu mereces dar e receber frases inteiras compostas com as mais belas palavras .

    Lembras-te de Nª Senhora das Dores? Pois então!

    " He aquí, helados cristalinos,
    sobre el virginal regazo,
    muertos ya para el abrazo,
    aquellos miembros divinos.
    Huyeron los asesinos.
    Qué soledad sin colores!
    Oh Madre mía, no llores!
    Cómo lloraba María!
    La llaman desde aquel día
    la Virgen de los Dolores.

    Poema de Gerardo Diego ( se não me engano)

    A Virgen de los Dolores, não teme brechas. Deixa-as sangrar.

    Beijinho grande e um grande abraço.

    Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu entendeste, Janita, obrigado e abraço grande

      Eliminar
  2. Las luchas son difíciles pero no podemos rendirnos, sea cual sea.

    Un abrazo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jessica,

      Rendição nunca, mas por vezes é preciso recuar.

      Abraço

      Eliminar
  3. Olá, Argos.

    Passo para te deixar um abraço e desejar um bom Domingo.

    Beijinhos, também!

    ResponderEliminar
  4. Un abrazo y buena tarde de domingo. Nunca, por nada, hemos de rendirnos. La vida es lucha, amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria,

      Nunca me rendo, mas por vezes paro para pensar!

      Abraço e boa semana

      Eliminar
  5. Olá Argos,

    Cada um deve lutar com as armas que tem mesmo que algumas delas possam abrir brechas em nós. É preferível essas "brechas", esses "espaços", do que baixar os braços e deixar de lutar.

    Haverá algum ser que consiga viver sem "batalhar"? A luta faz parte da sobrevivência e por isso da vida.

    Um grande abraço amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tétis,

      Este texto é sobre os meus textos e o meu amigo "del"

      Abraço grande

      Eliminar

  6. Argos, meu Amigo, tenho andado tão arredada dos blogues que nem dei conta desta tua publicação. Desculpa.

    Escrever-te o quê? Apenas que este "limbo" é um verdadeiro inferno. Pelo menos, assim o sinto.

    Um beijinho e aquele abraço grande que só aos grandes amigos se dá.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laços, se o limbo é um verdadeiro inferno, paramos, pensamos e seguimos o nosso caminho mesmo qeu não seja o que os outros esperam de nós!

      Abraço grande

      Eliminar
  7. hola Argos,
    la vida es una lucha permanente que debemos saber afrontar..
    Es preciso saber vivir. como dice sabes quien?

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poseidón,

      É preciso saber viver como diz o nosso amigo, mas aqui referia-me aos meus textos!

      Abraço grande

      Eliminar

Cada comentário a este post é mais um Facho de Luz que nos ilumina.
Mas, se apenas quiser assinalar a sua presença, dar-nos um recadinho ou dizer-nos um simples “olá”, poderá também fazê-lo no nosso Mural de Recados.
A equipa do Farol agradece o vosso carinho e Amizade.