domingo, 4 de novembro de 2012

Pequenos deuses caseiros

Pequenos deuses caseiros

Letra: Sidónio Muralha
Música e Interpretação: Manuel Freire


Pequenos deuses caseiros
que brincais aos temporais,
passam-se os dias, semanas,
os meses e os anos
e vós jogais, jogais
o jogo dos tiranos.
Pequenos deuses caseiros
cantai cantigas macias
tomai vossa morfina,
perdulai vossos dinheiros
derramai a vossa raiva
gozai vossas tiranias,
pequenos deuses caseiros.
Erguei vossos castelos
elegei vossos senhores
espancai vossos criados,
violai vossas criadas,
e bebei,
o vinho dos traidores
servido em taças roubadas
Dormi em colchões de pena,
dançai dias inteiros,
comprai os que se vendem,
alteai vossas janelas,
e trancai as vossas portas,
pequenos deuses caseiros,
e reforçai, reforçai as sentinelas.

16 comentários:

  1. Como se encaixa nesta imagem que escolheste!
    Que força tem este Poema e esta voz que tantas vezes ouvi antes do 25 de Abril!
    Depois passou a ser fácil...Deixou de ser às escondidas!
    Penso que ñ te importas que partilhe o vídeo no Facebook com o meu filho Nuno que está "lá fora".
    Estão os dois, aliás. Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga

      A sempre agradável voz de Manuel Freire interpretando um belo poema, infelizmente tão actual, de Sidónio Muralha!...

      Partilha à vontade com o teu filho, fico bem feliz por isso.

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Obrigada!Já partilhei e ele gostou.
      Boa noite, minha querida.
      Beijo.
      isa.

      Eliminar
  2. Querida amiga, quanta saudade espero que estejas bem.

    Cada vez mais infelizmente estas canções são necessárias e urgentes.
    Manuel Freire é uma das vozes que mais aprecio.Quem diria que chegávamos e esta situação em que é preciso:

    reforçar, reforçar as sentinelas.

    Beijinhos amiga tem uma excelente semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fê

      Manuel Freire tem excelentes interpretações e esta é uma delas.

      Reforçar as sentinelas e estarmos cada vez mais atentos é condição fundamental e indispoensável para que, pelo menos, consigamos "sobreviver".

      Também estava com saudades tuas e por isso te visitei e fiquei encantada com os novos visuais dos teus blogs. Estão lindos...

      Tudo de bom para ti.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Olá Tétis,
    Deixaste de ser "calvinista"?:)

    A voz de Manuel Freire neste poema mais que atual deixa-nos um sabor bom para o resto da noite (eu só vi agora).

    Sabes que há pequenos deuses caseiros que se transformam em autênticos reis dos celeiros.....

    trancai as vossas portas,
    e reforçai, reforçai as sentinelas..... como nós hoje.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo JP

      Pois se eu nunca fui "calvinista", como poderia agora deixar de o ser? Queres baralhar-me, confudir-me e isto apenas por eu ter dito que acredito no destino...

      Este poema interpretado por Manuel Freire é bom de se ouvir no momento actual, deixa-nos esse "sabor bom" como dizes.

      É mesmo preciso estarmos muito atentos a esses pequenos deuses caseiros que se apoderam de tudo menos da nossa alma, pelo menos enquanto não deixarmos que isso aconteça.

      Trancar as portas e reforçar as sentinelas começa a ser um dever de cada um... infelizmente.

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Tétis...

    apenas tenho vontade de contigo partilhar isto... aceita, ouve, sente...


    http://www.youtube.com/watch?v=15Ed12h2uXU


    beijo grande!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada Tétis,

    Que bom é recordar este belíssimo poema, esta bela voz.

    Beijinho

    ResponderEliminar


  6. Dejare de apreciarte
    cuando un pintor ciego
    pinte el sonido de los pétalos
    cayendo sobre las cumbres del viento
    en armonía con los sentimientos del mañana.

    Y cuando eso suceda yo no seré quien soy
    ni tú llenaras mi jardín de pétalos velados
    recubriendo la silueta de estelas doradas.

    Un abrazo regado con una cascada de sonrisas
    Para iluminar el comienzo de esta semana.

    Atte.
    María Del Carmen





    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Es un poema..que me gusta aprovechar lo que se tiene, aquí y ahora..

      eso es lo importante..

      un beso y un abrazo para los tres... queridos amigos

      Eliminar
  7. Minha querida Tétis

    Um grande Poema...uma grande vos e um grande poeta e infelizmente tão actual nos dias de hoje como no ontem.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  8. Oie lindona..uau que poemão lindo.. e imagens belissimas tb...bem vim convidar vc para comer um pedaço de bolinho com amigo Van no site do Dado...em meus aniversáriantes!!
    http://dado.pag.zip.net/
    E tb postei um poeminha lindo no mundinho mistico te espero em kkk feliz semaninha beijokinhas !!
    http://casadanadja.zip.net/mistico.htm

    ResponderEliminar
  9. corrigindo Esta semana tres amigos comemoram seus aniversários em minha página. Eu e a amiga nadjinha estamos realizando os eventos festivos e contamos com sua visita para parabeniza-los.
    : Vanderlei 07 de nov.: Gracita 08 de nov.: Sandy 09 de nov. Um abraço Dado

    ResponderEliminar
  10. Hola amiga Tétis,

    Es un poema muy interesante a tener en cuenta mismo con la actualidad de hoy..

    Bisous tendres

    ResponderEliminar
  11. Abraço Tetis.
    Não conhecia o poema.

    ResponderEliminar

Cada comentário a este post é mais um Facho de Luz que nos ilumina.
Mas, se apenas quiser assinalar a sua presença, dar-nos um recadinho ou dizer-nos um simples “olá”, poderá também fazê-lo no nosso Mural de Recados.
A equipa do Farol agradece o vosso carinho e Amizade.